sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Ecobag

É com essa que eu vou

Demorou, mas chegou. Desde o ultimo dia 16/07 que as sacolas plásticas, comuns em lojas, feiras livres e supermercados, estão proibidas de circularem. Está certo que, os estabelecimentos comerciais tem um prazo para se adaptarem a nova lei. Mas cabe também ao consumidor mudar sua rotina, tudo em prol do meio ambiente.

Não é de hoje que as ecobags surgiram, mas somente agora caiu no gosto popular. Seja para substituir a velha bolsa plástica, seja para dar um ar mais fashion ao seu visual. E falando sério, não é que são umas gracinhas?

Grande e estilosa, as ecobags – bolsas ecológicamente corretas – se tornaram peças essenciais na hora de fazer aquela compra. Hit da estação, virou febre no mundo todo e já domina o Brasil.




Percursora no mercado de ecobags, a designer inglesa Anya Hindmarch criou seu primeiro modelo com a seguinte frase "I'm not a plastic bag" (Eu não sou uma sacola de plástico).

A bolsa fez o maior sucesso, tanto lá fora, quanto aqui no Brasil. Seus exemplares, importados pela empresária Silvia Chreem, esgotaram rapidamente e ainda tiveram fila de espera.




Daí para outras grifes adotarem essa ideia, foi um pulo. Lá fora, marcas famosas como Hermès, Louis Vuitton e Stella McCartney providenciaram suas versões de ecobags.

Já aqui no Brasil, Cavalera, Maria Bonita e Blue Man, entre muitas outras, lançaram as suas durante exposição realizada no Senac, em São Paulo. O material na confecção das mesmas foi sarja sem tintura e algodão orgânico.

Save the Planet

A campanha em favor das ecobags começou com o objetivo de diminuir o consumo das sacolinhas de plástico, que causam poluição em oceanos, lagos e rios. Quando jogadas em lixões, elas demoram em média de 300 à 400 anos para se decompor. E o que é pior, enquanto isso liberam substâncias químicas na atmosfera.

Descobriu-se então que, graças a alta tecnologia, dá para se desenvolver produtos sem agredir a natureza. Como por exemplo, tecidos feitos de garrafas pet. Por isso que a ordem é aderir às sacolas permanentes.

O certo seria todos os supermercados, e estabelecimentos comerciais, distribuirem sua ecobag aos seus clientes. Mas, ao contrário do que já é feito nos EUA, aqui eles estão cobrando pelas peças. Algumas são bem baratinhas. Como é o caso das Lojas Americanas, em que custam um pouco mais de R$1,00. Mesmo assim, vale ficar de olhos abertos. E caso se sinta lesado, recorrer ao Procon.


Já para o fato de suas compras não derem na sacola - é claro que nem tudo irá caber nas ecobgas. Isso não faria bem à sua bolsa e muito menos, coluna -, a campanha agora é adotar também o uso das caixas de papelão. Lembre-se, todo supermercado deve tê-las para distribuir aos seus clientes. E por fim, ainda temos como opção o bom e velho carrinho de feira.


  
E antes que você se descabele por conta do funeral dado às sacolas plásticas, que durante muito tempo serviram para carregar seu lixo, aqui vai uma boa notícia. Aquele saco grande, encontrado nas cores preto ou azul, é bem melhor. Além de suportar uma quantidade maior de detrito, utiliza menos plástico por metro quadrado.

Moda Ecológica

Escolha seu modelo de ecobag e arrase. E o que é melhor, sem se preocupar com a estação. Afinal, essas estão liberadas o ano todo.







Por Tatiana Bruzzi

Publicado em Agosto de 2010

3 comentários:

Carlinha disse...

Esse post me inspirou... sou extremamente contra ecobags, por mais cruel que possa parecer.
Me rendeu a versão 'anti-herói' deste texto. Vou publicar agora no meu blog.

Bjos, meninas!

13 de agosto de 2010 21:44
Taty Bruzzi disse...

Fala leitora assídua! Como somos uma democracia, fico feliz que nosso post tenha te tocado de alguma forma. Rsrs.

Bjs, Taty!

14 de agosto de 2010 15:17
Anônimo disse...

oi! meu nome e audeslania. adorei essa pagina falando sobre o bullyng,e sobre oque de vemos fazer em questao a isso. TTTTTHHHHAAAAUUUUU!

21 de fevereiro de 2011 09:39
 

©2009Espetaculosas | by TNB